Os Cavaleiros do Zodíaco: A Lenda do Santuário (Sainto Seyia: Legend of the Sanctuary – 2014 – Japão – 93 min) – Crítica

por Gabriel Escuderoos-cavaleiros-do-zodiaco-a-lenda-do-santuario-imagem-promocional

Na tentativa de trazer um novo fôlego da franquia para novos espectadores e ao mesmo tempo resgatar a adoração dos fãs de longa data, o filme falha nos dois aspectos, florescendo apenas a frustração.

Cavaleiros-do-Zodiaco-Lenda-do-Santuario-CartazUm grupo de heróis cuja missão é proteger a princesa na jornada até a vitória. É com esse mais clássico dos clichês de aventura que nos deparamos ao assistir ao filme. Essa mistura de mitologia grega e astrologia, com os toques de confrontos mano a mano, em magias e pancadaria, aliado ao caminho que a “menina especial” precisa trilhar para ser reconhecida como tal, é que permeia a produção. Mas uma base fértil não resulta em uma história fácil de digerir. Pelo menos não neste caso.

Baseado no famoso mangá criado por Masami Kurumada, esta produção serve como comemoração dos 40 anos de carreira do autor, o que não significa que fizeram jus a seu legado. Toda a bagagem trazida principalmente pelos animes dos anos 90 e seus produtos como bonecos e licenciados (o que se tem como o início da febre da cultura japonesa no Ocidente) não são suficientes para arrematar um sucesso na produção do longa. Percebe-se uma certa má vontade, ou mesmo uma pressa na conclusão, o que desfavorece sensivelmente a avaliação tanto técnica como emotiva.

A animação não é muito bem caprichada e há momentos de total preguiça e desatenção. Nota-se a falta de esmero nos movimentos e nas texturas dos ambientes. Mais parecem cenas tiradas de videogame do que um genuíno longa metragem de cinema. Sua trilha sonora também peca pela falta de criatividade, caindo na mesmice das fitas de ação e as batidas aceleradas e constantes.

O roteiro também não pode ser considerado coeso, eis que tudo parece acontecer muito rápido, com explicações didáticas forçadas e situações de pano de fundo apresentadas sem a menor cerimônia, como se soubéssemos já da vida dos personagens. Isso prejudica em muito os novos espectadores, que acabam por perder precioso tempo na tentativa de assimilar as razões e caráter de cada um dos personagens. Até as situações de emergência se tornam efêmeras e não trazem empatia alguma. Fica tudo com uma sensação morna que a premissa não permitiria.

lenda_novasimagens_1

Não que tenha apenas defeitos, já que a simpatia e o carisma do protagonista, junto com situações engraçadas que são pinceladas durante a projeção, aliviam um pouco os deméritos da história. Algumas cenas de luta também vidram os olhos, e embora tenha dito sobre a falha da animação, a sequencia inicial ambientada no espaço traz um esmero ímpar que não se repetiu em seu decorrer.

Trazendo elementos originais que podem não agradar aos fãs mais exigentes e ainda não são facilmente digeridos pelos novos espectadores, Cavaleiros do Zodíaco poderia tentar agradar a um nicho apenas que talvez saísse mais vitorioso. É que quando queremos agradar todo o mundo, acabamos não agradando ninguém.

Nota: 5

Anúncios

One Response to Os Cavaleiros do Zodíaco: A Lenda do Santuário (Sainto Seyia: Legend of the Sanctuary – 2014 – Japão – 93 min) – Crítica

  1. claquetegirls says:

    Amo Cavaleiros do Zodíacos, mas confesso que até hoje não assisti esse filme por causa do gráfico novo kkkk …. não gostei, prefiro o gráfico original.
    Bjs

    https://claquetegirls.wordpress.com

    Ass: Carolina Souza

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: